titulo-portugues-final.png
  • Imagem protegida – Proibida a reprodução
  • Imagem protegida – Proibida a reprodução
  • Imagem protegida – Proibida a reprodução
  • Imagem protegida – Proibida a reprodução

O Programa

O Programa de Pós-Graduação em Neurologia e Neurociências foi criado em 1978 pelo professor titular Dr. José Geraldo Camargo Lima, que exerceu a coordenação desse Programa até o ano de 1989. Durante esse período, médicos com residência em Neurologia / Neurocirurgia podiam fazer mestrado e doutorado pela Pós-Graduação em Neurologia e os títulos obtidos eram de mestres em Neurologia e doutores em Medicina. Nesta época, o Programa contava com dois centros de pesquisa, situados na Disciplina de Neurologia Clínica e Neurologia Experimental.

    A partir de 1983, com o apoio do Prof. Dr. Esper Abrão Cavalheiro houve uma modificação no Programa, que passou a receber alunos graduados de outras áreas, ligadas à medicina ou médicos não neurologistas, além de orientadores mais voltados para a pesquisa básica. Durante o período de 1991 a 2000 o Prof. Dr. Esper Abrão Cavalheiro coordenou o Programa de Pós-Graduação em Neurologia / Neurociências e propiciou uma grande integração entre a pesquisa básica e clínica, sendo um dos pioneiros na criação de um Programa da Pós-Graduação multidisciplina dentro da UNIFESP.

    Atualmente, o Programa admite alunos graduados em diferentes áreas e que tenham interesse no desenvolvimento de pesquisas na área de neurociências, com ênfase em doenças neurológicas. Seus orientadores atuam em pesquisas clínicas ou pesquisa básica-aplicada que engloba o estudo dos mecanismos envolvidos na fisiopatologia e abordagens terapêuticas de inúmeras doenças neurológicas. A infraestrutura oferecida consta de setores clínicos voltados ao atendimento de paciente, exames subsidiários relacionados à investigação neurológica e laboratórios de pesquisa. Os laboratórios de pesquisa oferecem recursos e infraestrutura para estudos translacionais com utilização de técnicas de biologia molecular, cultura de células, histopatologia, eletrofisologia além da utilização de diversos modelos experimentais.

    O Programa objetiva a formação de recursos humanos e de pesquisa de alta qualidade, que permita o desenvolvimento simultâneo de Ciência e Tecnologia no Brasil e que resulte em uma melhor qualidade na investigação e tratamento dos pacientes.

 

        Por cinco avaliações consecutivas da CAPES (2001-2003; 2004-2006; 2007-2009; 2010-2012; 2013-2016) nosso Programa obteve a nota 6, que só é concedida àqueles com excelência internacional, o que atesta a qualidade de nosso Programa.
 

Linhas de Pesquisa:

 
Investigações clínicas em doenças neurológicas
Esta linha de pesquisa é voltada para os estudos em pacientes com doenças neurológicas e que envolvem a avaliação dos aspectos clínicos, investigação diagnóstica e tratamento de doenças como epilepsia, distúrbios do movimento, distúrbios do comportamento e cognição, doenças neurovasculares, doenças neuromusculares, tumores do sistema nervoso,cefaléias, doenças desmielinizantes e autoimunes. O objetivo maior é o entendimento dos diferentes aspectos clínicos e de exames subsidiários para que possamos ter um diagnóstico mais preciso, ter uma melhor avaliação da gravidade, evolução e prognóstico da doença, e por fim, melhorar os tratamentos realizados, inclusive avaliando novos tratamentos. Os estudos são realizados no Hospital São Paulo, que é o hospital de ensino ligado à Escola Paulista de Medicina (Universidade Federal de São Paulo), utilizando os ambulatórios e unidades hospitalares. Estes estudos abrangem não só os tratamentos clínicos e cirúrgicos mas também áreas de apoio ao paciente tais como fisioterapia, fonoterapia, apoio psicológico e social, ou seja, qualquer aspecto ligado ao cuidado e manejo do paciente neurológico.
 
Neurociência experimental
Esta linha de pesquisa tem o objetivo principal de investigar os processos fisiopatológicos envolvidos nas doenças neurológicas e possíveis estratégias terapêuticas, utilizando modelos experimentais animais, celulares e outros modelos experimentais que possam estar disponíveis, incluindo modelos matemáticos. Estas investigações são realizadas com diferentes métodos baseados em histologia, biologia molecular, biologia celular, eletrofisiologia e outros. Os estudos ocorrem em laboratórios de pesquisa localizados nos diferentes edifícios de pesquisa da Escola Paulista de Medicina e conta com amplos recursos de equipamentos para a realização das mais modernas técnicas de investigação.
 
Neurociência translacional
Esta linha de pesquisa tem como objetivo fazer a integração entre a os conhecimentos obtidos na bancada do laboratório, os dados clínicos apresentados pelos pacientes e o tratamento da patologia.. A pesquisa translacional apresenta várias definições na literatura mas, em nosso contexto, ela representa a integração da pesquisa básica experimental com a pesquisa clínica. Visa ajudar a geração de novas formas de diagnostico e novas formas de abordagens das doenças neurológicas, através da geração de conhecimentos da fisiopatologia das neuropatias, em associação com dados clínicos apresentados pelos pacientes. Assim, amostras de tecidos e fluidos humanos são estudados em analises laboratoriais na tentativa de se obter novos alvos terapêuticos e novas formas de diagnóstico precoce. Nestas investigações, dados clínicos de pacientes são integrados aos resultados obtidos por estudos que envolvem a experimentação em cultura de células, estudos em genômica, proteômica e lipidômica de tecidos patológicos humanos, na tentativa de interferir e identificar novos alvos terapêuticos, que possam vir a melhorar a qualidade de vida desses pacientes.
 

Notícias - Avisos

INSCRIÇÕES ABERTAS - Candidatos a bolsas de Pós-Graduação 1º Semestre/ 2019

Estão abertas as inscrições para a Prova de Seleção de Bolsistas (1º semestre 2019), indicado aos candidatos com interesse em bolsas de pós-graduação do Programa de Neurologia/ Neurociências. 

Leia mais...

Publicações selecionadas e recentes

Sleep disorders in Machado-Joseph disease

José Luiz Pedroso, Pedro Braga-Neto, Alberto M. R. Martinez, Carlos R. Martins Junior, Flávio M. Rezende Filho, Manoel A. Sobreira-Neto, Lucila B. F. Prado, Gilmar F. Prado, Marcondes C. França Junior, Orlando G. P. Barsottini

Curr Opin Psychiatry. 2016 Nov;29(6): 402-8.

 

MUNIX: Reproducibility and clinical correlations in Amyotrophic Lateral Sclerosis

Marcio Luiz Escorcio-Bezerra, Agessandro Abrahao, Isac de Castro, Marco Antonio Troccoli Chieia, Lyamara Apostolico de Azevedo, Denise Spinola Pinheiro, Nadia Iandoli de Oliveira Braga, Acary Souza Bulle de Oliveira, Gilberto Mastrocola Manzano

Clin Neurophysiol. 2016 Sep;127(9): 2979-84.

 

Screening of GNAL variants in Brazilian patients with isolated dystonia reveals a novel mutation with partial loss of function

Camila Oliveira dos Santos, Ikuo Masuho, Francisco Pereira da Silva-Júnior, Egberto Reis Barbosa, Sonia Maria Cesar Azevedo Silva, Vanderci Borges, Henrique Ballalai Ferraz, Maria Sheila Guimarães Rocha, João Carlos Papaterra Limongi, Kirill A. Martemyanov, Patricia de Carvalho Aguiar

J Neurol.. 2016 Apr;263(4): 665-8.

 

Polysomnography Findings in Spinocerebellar Ataxia Type 6

Adriana Dourado Rueda, José Luiz Pedroso, Eveli Truksinas, Gilmar Fernandes do Prado, Fernando Morgadinho dos Santos Coelho, Orlando Graziani Povoas Barsottini

J Sleep Res.. 2016 Dec;25(6): 720-723.

 

Maternal exercise during pregnancy increases BDNF levels and cell numbers in the hippocampal formation but not in the cerebral cortex of adult rat offspring

Sérgio Gomes da Silva, Alexandre Aparecido de Almeida, Jansen Fernandes, Glauber Menezes Lopim, Francisco Romero Cabral, Débora Amado Scerni, Ana Virgínia de Oliveira-Pinto, Roberto Lent, Ricardo Mario Arida

PLoS One. 2016 Jan 15;11(1):e0147200.

 

Integrated analysis of the involvement of nitric oxide synthesis in mitochondrial proliferation, mitochondrial deficiency and apoptosis in skeletal muscle fibres

Gabriela Silva Rodrigues, Rosely Oliveira Godinho, Beatriz Hitomi Kiyomoto, Juliana Gamba, Acary Souza Bulle Oliveira, Beny Schmidt, and  Célia Harumi Tengan

Sci Rep. 2016; 6: 20780. 

Expression of praxis induction on cortical excitability in juvenile myoclonic epilepsy

Marcos Vidal-Dourado, Karlo Faria Nunes, Mirian Salvadori Bittar Guaranha, Lydia Maria Pereira Giuliano, Elza Márcia Targas Yacubian, Gilberto Mastrocola Manzano.

Clin Neurophysiol. 2016 Jul;127(7):2551-60.

A single bout of resistance exercise improves memory consolidation and increases the expression of synaptic proteins in the hippocampus.

Jansen Fernandes, Juliana Carlota Kramer Soares, Luiz Guilherme Zaccaro do Amaral Baliego, Ricardo Mario Arida

Hippocampus. 2016 Aug;26(8):1096-103.

Programa de Pós-Graduação em Neurologia/ Neurociências

Rua Pedro de Toledo, 669 - 2º andar

Tel: (11) 5576-4848  Voip: 2838 (Edvaldo) - E-mail: edvaldo.marques@unifesp.br